quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos parabenizam o Presidente por sua vitória na eleição dos EUA

SALT LAKE CITY — A Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias emitiram o seguinte comunicado nesta terça-feira: Parabenizamos o Presidente Obama por ganhar um segundo mandato como Presidente dos Estados Unidos.

Depois de uma longa campanha, este é um momento para os americanos se unirem. É uma longa tradição entre Santos dos Últimos Dias orar por nossos líderes nacionais em nossas orações pessoais e em nossas congregações. Convidamos os americanos em todos os lugares, independentemente da sua filiação política, a orar pelo Presidente, sua administração e pelo novo Congresso, para conduzirem-nos em momentos difíceis e turbulentos. Que os nossos líderes nacionais reflitam o melhor em sabedoria e julgamento, na medida que cumpram com a grande confiança que lhes foi conferida pelo povo americano.

Também elogiamos o governador Romney por se engajar no mais alto nível do nosso processo democrático que, por sua natureza, exige muito dos que se oferecem para o serviço público. Desejamos a ele e sua família todo o sucesso nos seus empreendimentos futuros.

Missionários Mórmons ajudam no esforço de limpeza após Furacão Sandy

SALT LAKE CITY — Missionários locais e líderes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Diaspassaram a quarta-feira passada ajudando as comunidades afetadas pelo furacão Sandy. Líderes locais da Igreja enviaram centenas de missionários, incluindo mais de 500 das áreas de Nova York, Nova Jersey e Connecticut para ajudar os maradores dos bairros danificados pela tempestade.
  
Missionários mórmons na Missão Nova Jersey Morristown ajudaram a limpar áreas com árvores e detritos de seus vizinhos.

"Estamos apenas tentando descobrir onde a necessidade está, e tentar ajudar de alguma forma", disse a Irmã Liz Dicou, missionária de Sandy-Utah que está em Nova Jersey.

Missionários na área de Nova York ajudaram a socorrer pessoas em casas inundadas, remover árvores de telhados e pátios na área da missão, que inclui Staten Island, Brooklyn, Queens e Long Island. Eles primeiro ajudaram aqueles com necessidades especiais, incluindo idosos residentes e aqueles que precisavam de acesso a energia para dispositivos médicos.

Kevin E. Calderwood, presidente da Missão New York sul, disse que, quando missionários e membros da Igreja entraram em comunidades para ajudar, rapidamente se tornou um esforço de colaboração com os vizinhos que trabalharam lado a lado para remover árvores e detritos.
Presidente Calderwood disse que é difícil ver tantos danos na área. "Algumas casas estão completamente arrasadas, e as pessoas que perderam tudo", disse ele. "Você vai de casa em casa, e as pessoas estão realmente desesperadas no momento."

O Elder Storey, um missionário de Ogden, Utah, disse que é difícil ver pessoas que ele veio amar em uma situação tão difícil, mas ele é grato por ser capaz de ajudar. "Eu aprendi a amar esta cidade muito, por isso tem sido difícil ver as áreas onde eu tenho servido danificados e as famílias sofrendo com tanto dano."

O Elder Josh Munday, de Kent, Inglaterra, outro missionário em Nova York, também foi grato por ser capaz de servir os outros durante o desastre. "Esta é a vocação da nossa Igreja, ajudar aqueles que estão em necessidade", disse ele. "Foi tão triste ver tanta gente com tantas dificuldades em suas vidas agora. Estaremos orando para os outros que estão em necessidade. "

O Presidente Calderwood disse que os missionários continuarão a fornecer toda a ajuda que puderem nos próximos dias e semanas. "Há mais trabalho a fazer aqui do que qualquer um tem capacidade para fazer, mas vamos dar um passo de cada vez", disse ele.
Missionários, membros da igreja e outros voluntários vão passar os próximos dias em bairros, ajudando com as necessidades imediatas e avaliação dos danos, em seguida, vão fazer planos de voltar para ajudar com maiores projetos de longo prazo. Algumas ações devem esperar até que as estradas estejam seguras, a energia volte e sejam apuradas as áreas alagadas. Assim que os socorristas determinarem que seja seguro, os líderes locais da Igreja irão trabalhar com agências governamentais para ajudar a organizar a assistência nessas áreas.

Os esforços de ajuda estão sendo coordenados tanto no nível local e regional. O líder da Igreja Élder Jeffery E. Olson está ajudando a coordenar esforços dos membros da Igreja em Nova York, Nova Jersey e Connecticut, e disse que os líderes locais estão ansiosos para organizar toda a assistência possível. "Todos expressaram a vontade de ir para onde eles precisarem ir e ajudar quem precisar de ajuda", disse ele. "Na verdade, eles estavam dispostos a vir de bem longe se precisarem deles."

A Igreja tem equipamentos e suprimentos que estão sendo distribuídos conforme as necessidades são determinadas. A Igreja tem pré-posicionados suprimentos em armazéns em Indianápolis, Washington, DC, Nova York e Nova Jersey. Essas fontes incluem geradores, alimentos, água, cobertores, kits de higiene, lonas, motosserras, pás e carrinhos de mão.

Elder Olson disse que os membros da Igreja na região foram muito bem preparados para a tempestade e foram capazes de alcançar aqueles que precisaram de ajuda. "Nós estamos ensinando nossos membros a estar em um nível de preparação para que eles também sejam capazes de ajudar os seus vizinhos ea comunidade a se recuperar após um desastre", disse ele.


Os missionários tem usado as
​​casas dos membros da igreja como ponto de partida em seu esforço para ajudar, para, então, espalhar-se em cada bairro. Assim que os membros asseguram-se que suas próprias casas e famílias estão seguros, muitos deles vão se unir aos esforços de socorro dos missionários.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Líderes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias visitam sede da Igreja Adventista do Sétimo Dia

BRASÍLIA-DF — Élder Moroni Torgan, Setenta, representando a Presidência da Área Brasil, acompanhado por Paulo Araújo, Gerente de Bem-Estar da Área e por representantes dos Assuntos Públicos visitaram na manhã de ontem, 23 de outubro, na sede em Brasília, a liderança máxima da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O escritório localizado na capital federal atende o Brasil e toda a América Latina. 

Foram recebidos pelos líderes: pastor Edson Rosa, da Área de Comunicação e Relacionamento Inter-Religioso; Sr. Günther Wallanuer, Diretor da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA), e pelo pastor Erton Köhler, Presidente da Igreja Adventista Sul Americana. Durante todo o encontro o espírito de irmandade foi sentido. O propósito da reunião foi basicamente, estreitar o relacionamento de  amizade, defender os princípios que regem a Liberdade Religiosa e articular possíveis projetos humanitários em parceria.

Conduzido pelo pastor Rosa, foi apresentado um vídeo institucional da Igreja Adventista sobre as diversas ações desenvolvidas em várias áreas, um modelo de gerenciamento e de ações práticas de amor ao próximo. Paulo Araújo, do Departamento de Bem-Estar, fez uma explanação sobre as ações deA Igreja de Jesus Cristo no Brasil e no mundo. O passo seguinte é manter os contatos para articular algum tipo de projeto humanitário em parceria. Já como Mãos que Ajudam foi feito um convite para envolver os jovens da Igreja Adventista – que já desenvolvem um programa de Doação de Sangue – chamado “Vida por Vidas” – para que possam participar com os voluntários da Igreja de Jesus Cristo, em 2013, do projeto de Doação de Sangue.

“Estamos prontos em apoiar e contribuir, dentro de nossas possibilidades, com as iniciativas da ADRA, conte conosco”, comentou Paulo Araújo. O diretor da ADRA, Sr Günther enfatizou: “Vocês são um exemplo de serviço humanitário. A tradição de servir de vocês é um exemplo. Tenho muito admiração pelo serviço missionário da Igreja de Jesus Cristo”.
Élder Torgan explicou sobre a neutralidade política da Igreja, que vai ao encontro dos preceitos adventistas. O Presidente, pastor Erton Köhler, que atua no ministério pastoral da Igreja adventista desde 1990 e que desde 2006 é o presidente da Igreja Sul Americana foi muito atencioso e cordial. “Que satisfação e alegria receber os irmãos da Igreja de Jesus Cristo aqui. Tenho real admiração por vocês. Uma Igreja séria e honrada. Em relação a valores familiares um exemplo e modelo para nós.” Élder Torgan agradeceu a oportunidade da visita: “Estamos felizes por estarmos aqui. Como testemunha de Cristo declaro que hoje os céus se alegram. Temos princípios comuns nossa missão é defender a liberdade religiosa e levar alento ao menos favorecido”.

No final, Élder Torgan entregou material da Igreja de Jesus Cristo, DVD e CD do Coro do Tabernáculo Mórmon, além de um colete do Programa Mãos que Ajudam. “Muito obrigado. Que alegria ter vocês aqui. Vamos fazer uma oração para finalizar”, disse o presidente Köhler, que conduziu a oração: “...agradecemos a presença dos irmãos de A Igreja de Jesus Cristo aqui. Os abençoe assim como todos os membros da Igreja no Brasil. Abençoe sua missão e os proteja”, foram algumas das palavras proferidas.
O site da Igreja Adventista publicou a notícia do encontro:

Texto e Fotos – Nei Garcia - Departamento de Assuntos Públicos Brasil

Declaração da Igreja sobre o Aumento do Interesse no Serviço Missionário


SÃO PAULO — A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em resposta a diversas questões colocadas pelos meios de comunicação, sobre a alteração do limite mínimo de idade para os rapazes e moças poderem iniciar a sua missão, emitiu a seguinte declaração oficial:

“Tal como os responsáveis da Igreja tinham antecipado quando a alteração foi anunciada, o número de indivíduos que começaram o processo de candidatura para serem missionários aumentou significativamente. Normalmente, 700 novas candidaturas são iniciadas a cada semana. Nas duas últimas semanas, o número aumentou para cerca de 4 mil por semana. Mais da metade das candidaturas é do sexo feminino.”

“Estes são números preliminares e é difícil saber o que vai acontecer nos próximos meses, mas estamos gratos pela disponibilidade por parte dos nossos membros de fazerem este sacrifício para servirem as pessoas em todo o mundo. Reconhecemos que os membros da Igreja estão interessados em ter mais detalhes sobre as questões logísticas que esta alteração acarreta, tal como foi explicado pouco depois de ter sido anunciada e esperamos poder dar mais detalhes conforme este novo programa se desenvolver.”

Para mais informações sobre esta alteração na idade mínima para os jovens iniciarem as suas missões voluntárias de tempo integral, consultar o seguinte link:http://www.saladeimprensamormon.org.br/artigo/a-igreja-baixa-a-idade-minima-para-o-servico-missionario

A Igreja baixa a idade mínima para o serviço missionário

SALT LAKE, UTAH — Com o objetivo de expandir as oportunidades para os jovens membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de servir como missionários de tempo integral, o Presidente da Igreja, Thomas S. Monson, anunciou no dia 6/outubro que, com efeito imediato, os homens podem começar a servir como missionários aos 18 anos de idade e as mulheres aos 19 anos de idade.

O requisito de idade mínima que estava em vigor para o serviço missionário era de 19 anos para os jovens rapazes e 21 anos para as mulheres.

O anúncio foi feito durante a sessão de abertura da 182ª Conferência Geral Semestral da Igreja, transmitida para todo o mundo a partir de Salt Lake City, Utah, nos Estados Unidos da América.

O Presidente Monson afirmou que os missionários terão que ter completado os estudos secundários ou equivalentes, independentemente do local onde vivem

“Eu não estou sugerindo que todos os jovens rapazes irão – ou deverão – servir mais cedo nas suas vidas”, disse o Presidente Monson.  Na realidade, afirmou, esta possibilidade está disponível de acordo com as circunstâncias individuais, bem como do que for determinado pelos líderes locais da Igreja.

A Igreja espera que a redução da idade mínima para o serviço missionário venha aumentar significativamente o número de missionários que irá servir, ao expandir as opções da idade na qual podem iniciar o seu serviço. Uma conferência de imprensa dedicada ao tema foi realizada após o final da sessão de abertura da conferência geral.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Biblioteca pública de Açailândia é alvo de projeto voluntário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

AÇAILÂNDIA – Os membros e amigos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, igreja local de Açailândia, realizaram no último sábado dia 27, através do programa humanitário Mãos Que Ajudam, o projeto de reforma na Biblioteca Pública Estadual, Farol do Saber localizada as margens da BR 010 em frente à Praça da Bíblia.

O projeto foi realizado das 08 às 17 horas. Todos os membros e amigos envolvidos no projeto foram voluntariamente. Durante todo o dia foram realizados diversos serviços como pintura, reparações elétricas, hidráulicas, ferragens e outras.

O projeto Mãos Que Ajudam é desenvolvido pela igreja em todo o mundo, em Açailândia todos os anos os membros escolhem onde o projeto poderá ser desenvolvido, são escolas ou qualquer outro local público, entidades, praias e outros.

Além dos membros da igreja, outras pessoas também podem ajudar de algumas maneiras, com doações de materiais ou com mão de obra.

Este projeto contou com a ajuda de alguns amigos que fizeram questão de ajudar e descobre como o projeto é desenvolvido, o Prof. Milton Teixeira, ex-candidato a prefeito em Açailândia este ano pelo PSOL e seu ex-candidato a vice, Cleiton Viana participaram do projeto e além de sua valiosíssima ajuda puderam ver de perto como são realizados estes projetos.

A todos que contribuirão direta e indiretamente obrigado que o Senhor os abençoes hoje e sempre.

MAIS FOTOS DO PROJETO:
























Fonte: www.carloscristiano3.tk 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Quanto Vale uma Família Eterna?

Quanto mais velho eu fico, mais chego à conclusão de que os desafios fazem parte da vida. É difícil imaginar nosso progresso pessoal sem os testes que nos ajudam a sermos melhores, mais fortes, mais pacientes. Creio que um lugar onde isso acontece com mais frequência seja em nosso lar. Nossa família é uma bênção em nossa vida, mas isso não significa que não trarão alguma dor de cabeça. Na verdade, são nessas fases difíceis em nossos círculos familiares que temos a oportunidade de crescer com mais intensidade. O Élder Oaks disse em uma de suas mensagens: “A exaltação é uma experiência familiar eterna e nossas experiências familiares terrenas são a melhor maneira de nos preparamos para ela” (“O Desafio de Tornar-se”, A Liahona, janeiro de 2001, p. 41).

Com isso em mente, vale a pena pensarmos: “O quanto estou disposto a sacrificar para ter uma família eterna?” “Quantos desafios estou disposto a passar para merecer essa bênção?” Com certeza ela não virá sem um preço. Quanto vale uma família eterna? Creio que existem diferentes “preços a serem pagos” por esta bênção. Gostaria de comentar três situações que percebo serem as mais comuns:

1. Para algumas irmãs, talvez o preço a ser pago seja não ter uma família neste lado do véu.
Encontro muitas irmãs, mulheres eleitas, que não se casaram e estão à espera de um “príncipe encantado”. São moças fiéis e seriam excelentes esposas e mães. Assim como elas, existem outras que se casaram com alguém que parecia fiel, mas que acabou não honrando os convênios do templo. Sem dúvida elas merecem ter uma família eterna e terão, se permanecerem fiéis ao evangelho até o fim. O Élder Scott disse uma vez: “As irmãs fiéis que não conseguirem formar uma família nesta vida, sem dúvida terão essa oportunidade do outro lado do véu” (Seminário de Presidentes de Missão, 1998). Que promessa reconfortante! Ao mesmo tempo, são exigidos dessas irmãs alguns sacrifícios que só elas sabem quão difíceis eles são. Será que vale a pena esperar? Não seria mais fácil somente ter uma família aqui, sem os convênios do templo, mas pelo menos ter uma família? É um grande risco. Algumas irmãs trilharam esse caminho e não voltaram. Ganharam uma família nesta vida e a perderam para a eternidade. Essa é uma decisão que deve ser muito bem avaliada. Ficará mais fácil decidir se tivermos em nossa mente uma visão eterna de suas consequências. Para casarmos com a pessoa certa, precisamos ter a coragem de não casar com a pessoa errada. Quanto vale uma família eterna?

2. Para alguns casais, talvez o preço a ser pago seja o arrependimento e o perdão.
Não é incomum encontrarmos casais com dificuldades em seu casamento. Afinal de contas, são duas vidas que precisam ser ajustadas a uma nova realidade. Creio que não existem casais que, em algum momento ou outro, não tenham passado por situações que exigiram algum sacrifício. De um dos lados ou dos dois ao mesmo tempo. Uma coisa são as dificuldades com os mandamentos, outra são as dificuldades no relacionamento. A primeira situação sem dúvida é mais grave, enquanto a segunda, apesar de difícil, provavelmente não envolva quebra de convênios.

O que fazer então para salvar essa família eterna em potencial? No documento
 A Família: Proclamação ao Mundo, encontramos: “O casamento e a família bem-sucedidos são estabelecidos e mantidos sob os princípios da fé, da oração, do arrependimento, do perdão (…)”. O Presidente Kimball costumava dizer que essas duas palavras, arrependimento e perdão, salvariam muitos casamentos. Para tudo melhorar, provavelmente o marido ou a esposa, ou os dois, precisam se arrepender de algo e/ou perdoar algo que o outro tenha feito. Quando isso é aplicado, casamentos são mantidos e relacionamentos mudados. É fácil? Não, certamente não é, mas, quanto vale uma família eterna?

3. Para alguns pais, talvez o preço a ser pago seja a perseverança e o amor incondicional.
“Filho dura!” Esta é uma expressão usada pelo Élder Mazzagardi algumas vezes, em tom de brincadeira, lembrando-nos de que nossos filhos, por mais velhos que sejam, por mais experientes na vida ou no evangelho, ainda nos trarão preocupações. Alguns mais, outros menos, mas sem dúvidas, sempre estaremos atentos aos desafios que estarão passando na vida. Talvez o mais doloroso seja vê-los se afastando da verdade e correndo o risco de perderem sua exaltação. Como então minimizar essa possibilidade ou revertê-la, se isso vier a acontecer?

Lembro-me das palavras do Presidente Faust em um de seus últimos treinamentos às Autoridades Gerais. Ele compartilhou conosco o que tinha mantido sua família ativa por muitas gerações. Ele citou: noites familiares, orações familiares, estudo das escrituras em família, frequência ao templo e dízimo. Cada um desses itens, por sua profundidade, poderiam ser temas de outras mensagens, mas neste artigo fica apenas o convite para avaliação. Onde estamos bem e onde poderíamos melhorar como família? Não são tradições fáceis de serem implantadas. Principalmente para aqueles que são a primeira geração na Igreja, mas alguém precisa começar esse legado. Vamos deixar esse desafio para os nossos filhos ou netos? Sem dúvidas exigem disciplina e perseverança, mas quanto vale uma família eterna?

Aos que já têm alguns de seus filhos distantes da barra de ferro, vale lembrar-se de Enos ou Alma, o filho. Apesar de afastados da verdade, em algum momento de sua vida, voltaram. Como pai, sinto-me muito fortalecido com a experiência de Alma, o filho, que ouviu do anjo as palavras: “Eis que o Senhor ouviu as orações de seu povo e também as orações de seu servo Alma, que é teu pai; porque ele tem orado com muita fé a teu respeito, para que tu sejas levado a conhecer a verdade; portanto vim com o propósito de convencer-te do poder e autoridade de Deus, para que as orações de seus servos possam ser respondidas de acordo com sua fé” (Mosias 27:14; grifo do autor).

Não devemos nunca desistir, nunca. Mas não podemos nos esquecer das palavras do Élder Oaks: “Parte dessa visão é perceber que Deus deu aos Seus filhos o poder de escolha. Vai chegar a hora em que eles ficarão mais velhos e terão que fazer escolhas e ser responsáveis. É uma pena quando os pais carregam um fardo de culpa por toda decisão que os filhos tomam. Nós nunca, nunca desistimos. Somos responsáveis por ensinar os princípios corretos e fazer tudo o que pudermos com amor e persuasão. (…) Mas, em última análise, digo para os pais e avós adultos, continuem orando, continuem tentando, mas deixem de lado esse grande fardo de culpa. As pessoas que têm poder de escolha vão fazer escolhas erradas. Às vezes a única forma de certas pessoas aprenderem é fazendo uma escolha errada e vendo suas consequências. Depois, confiamos no incrível poder da Expiação do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Quase não existem pecados que podemos cometer na mortalidade que não possam ser perdoados, de acordo com os princípios corretos, pelo poder da Expiação do Senhor” (
Reunião Mundial de Treinamento de Liderança, “Criar uma Posteridade Justa”, 9 de fevereiro de 2008, p. 21).

Quanto vale uma família eterna? Creio que nosso entendimento da grandeza dessa bênção ainda é limitado. Um dia, se formos fortes e fiéis em nossa jornada, estaremos como famílias na eternidade e veremos que todo o sacrifício valeu a pena. “Nenhuma cadeira vazia no Reino Celestial!” Esse é um sonho possível, mas tem o seu preço.
Élder Carlos A. Godoy
Dos Setenta

terça-feira, 6 de março de 2012

A Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmon) anunciou as datas da Casa Aberta e Dedicação do Templo de Manaus Brasil, o 138ºtemplo da Igreja.

O público está convidado a visitar o templo durante a casa aberta a partir do dia 18/Maio (sexta) até o dia 02/Junho/2012 (sábado), excluindo os domingos. Ingressos gratuitos serão distribuídos para a casa aberta; mais detalhes serão informados nas próximas semanas. O templo será formalmente dedicado no domingo, 10 de junho de 2012, em 3 sessões. As sessões dedicatórias serão transmitidas para todas as congregações da Igreja no Brasil.

A Celebração Cultural será realizada no dia 9 de junho, sábado, e também será transmitida para diversas capelas da Igreja no Brasil.



segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Igreja SUD realiza casamentos e batismos no último sábado

Açailândia – Este sábado 25, foi marcado por 3 belos grandes casamentos e 10 batismos em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Açailândia.

Festa e muita alegria na noite deste sábado na Ala Açailândia para comemorar o mini casamento Comunitário da Ala, foram 3 casais resolveram dizer sim em matrimonio religioso diante de Deus.

A cerimonia teve inicio às 17 horas do sábado com um belo cerimonial onde disseram sim os noivos:
Cláudio Durval Costa e Fany Pereira de Oliveira
Antonio Raimundo Silva do Nascimento e Elisângela da Conceição Lima



Francisco Pereira dos Santos e Maria Iris da Silva.

Depois do cerimonial do casamento, foi à vez dos batismos, foram 10 pessoas que entraram nas águas batismais. 
Nota

Quem desejar conhecer melhor sobre o casamento ou sobre família acesse: www.lds.org.com

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Agora toda sexta tem cinema na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Açailândia – De volta as sextas-feiras em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o CINEMA. Agora toda sexta você tem aonde ir com a sua família para ver um bom filme na casa do Senhor.

O filme tem inicio às 19 horas e pode ser para todas as idades membros e não membro da igreja.

A entrada é gratuita para todas as pessoas de todas as idades. 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Estabeler Sião

Élder Claudio R. M. Costa - Presidente da Área Brasil (Fevereiro/2012)

Em agosto de 2011, convidei todos os membros do Brasil a buscarem estabelecer Sião, começando a partir de cada um de nós. Sei que os que buscarem isso com todo o fervor e fé receberão as promessas contidas em 1 Néfi 13:37: "E abençoados os que procurarem estabelecer a minha Sião naquele dia, pois terão o dom e o poder do Espírito Santo; e se perseverarem até o fim, serão levantados no último dia e serão salvos no reino eterno do Cordeiro; e aqueles que proclamarem a paz, sim, novas de grande alegria, quão belos serão sobre os montes!" Esses terão o poder do Espírito Santo e serão salvos no reino do Cordeiro.
Estabelecer Sião requer nossos esforços para ser mais do que ouvintes da palavra: para ser praticantes dela. Quais são algumas coisas simples que necessitamos fazer para iniciar a construção de nossa Sião?
  1. Ser unos de coração. Isso se refere a sermos um com Cristo e Seus profetas. Somos privilegiados por ter profetas vivos que nos guiam nestes tempos tumultuados e difíceis.
  2. Guardar os mandamentos de Deus. Que privilégio é conhecer os mandamentos e regras que o Senhor revelou para nos proteger e abençoar. Toda bênção se baseia no cumprimento das leis, dos mandamentos e das regras que recebemos de Deus.
  3. Fazer e guardar convênios sagrados. Somos um povo de convênios, e esses convênios sagrados nos possibilitam conhecer melhor a Deus e a Seu plano de salvação e de felicidade. 
  4. Amar e proteger a família. O documento "A Família - Proclamação ao Mundo" nos ensina os princípios básicos que necessitamos cumprir para que a paz e o amor reinem em nossa família e em nosso lar. A prática constante da noite familiar, oração familiar e o estudo das escrituras em família nos dão a segurança e a proteção que o Presidente Faust ensinou na Reunião Mundial de Treinamento de Liderança, em 10 de janeiro de 2004.
  5. Dízimos e ofertas generosas. O Senhor nos prometeu grandes bênçãos, se cumprirmos essa lei (ver Malaquias 3:8-10). Ele ensinou que Sua lei inclui dízimo e ofertas. Os dízimos dos santos são transformados em bênçãos imensas derramadas sobre sua cabeça. As ofertas generosas de jejum fazem com que os pobres recebam a porção necessária para manter a vida com dignidade. As ofertas generosas ao Fundo Missionário nos colocam como companheiros dos milhares de missionários que servem diligentemente a Deus, trazendo almas a Ele. Esses dízimos e ofertas nos preparam para fazer os grandes sacrifícios que nos farão achegarmo-nos mais a Cristo. 
  6. Ir ao templo mais frequentemente. Esse simples ato de amor nos abençoará com conhecimento divino e abençoará a eternidade daqueles que estão do outro lado do véu. 
Queridos irmãos e irmãs, jovens e crianças: essas são apenas algumas coisas que podemos fazer em preparação para viver em Sião - a Sião que começa dentro de cada um de nós. Viver em um mundo melhor começa comigo - e com vocês.!
Eu os convido a assentar os tijolos dessa Sião com que sonhamos, mas que pode ser real! Que o Senhor os inspire e os abençoe!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O Livro de Mórmon


Élder Jairo Mazzagardi - Segundo Conselheiro na Presidência da Área Brasil (Dezembro/2011)



Para mim, o Livro de Mórmon tem sido uma fonte de inspiração e ajuda, desde o batismo, e de maneira muito forte.

Todos nós podemos ser líderes na Igreja. Todo homem, mulher ou jovem é desafiado a prepararse para servir continuamente em algum chamado para o próprio desenvolvimento espiritual.
Como recém-converso, não foi diferente comigo. Eu olhava para os líderes e professores com grande admiração, pelo conhecimento que demonstravam e a inspiração ao nos ensinar. Um dia, o bispo convidou-me para ir ao seu escritório e chamou-me para servir como professor do Instituto. Naqueles dias, essas aulas faziam parte do currículo da Escola Dominical. Eu fiquei surpreso e disse a meu bispo que não seria capaz de ensinar em uma classe composta por alunos tão antigos na Igreja e que sabiam muito mais do que eu. Mas ele disse-me que havia orado, que o Senhor estava me chamando e que me capacitaria no chamado, se eu procurasse fazer o melhor.

Muito inseguro, aceitei o chamado e, a partir daí, as escrituras se tornaram parte de minha vida, especialmente o Livro de Mórmon. Senti seus ensinamentos "incharem em meu peito (.), começando a dilatar-me a alma e a iluminar-me o entendimento" (ver Alma 32:28).
Nos anos que se seguiram, já como líder, e entrevistando e aconselhando membros de todas as idades, usei inúmeras vezes Mosias 4:29-30 como fonte de ajuda, tanto na prevenção do pecado, que envolve os filhos do Pai Celestial de muitas e diferentes maneiras, como para ajudar a sair dele.

Em Mosias 4:29, o rei Benjamim, no vigoroso discurso que fez a seu povo no templo, diz: "Não vos posso dizer todas as coisas pelas quais podeis cometer pecado; porque há vários modos e meios, tantos que não os posso enumerar". Que grande alerta! Vivemos em um mundo coberto de pecados e, para não falharmos em nosso teste aqui na Terra, precisamos ficar atentos o tempo todo. Depois de nos dar conselhos específicos e preciosos, no versículo seguinte o rei Benjamim nos diz para tomarmos cuidado com nós mesmos: "Se não tomardes cuidado com vós mesmos e vossos pensamentos e vossas palavras e vossas obras; e se não observardes os mandamentos de Deus nem continuardes tendo fé no que ouvistes concernente à vinda de nosso Senhor, até o fim de vossa vida, perecereis. E agora, ó homem, lembra-te e não pereças". Que surpresa! Eu sou um perigo para mim mesmo!

Refleti muitas vezes sobre essas palavras, e elas têm-se provado verdadeiras, sempre. O pensamento do homem é um poderoso sistema de defesa quando tomamos cuidado e ficamos atentos; mas, quando nos distraímos e não ouvimos a voz mansa e delicada do Espírito, entramos em um caminho muito perigoso, que poderá destruirnos rapidamente. Cabe aqui o mandamento dado pelo próprio Senhor: "Deveis vigiar e orar sempre, para que não sejais tentados pelo diabo e levados cativos por ele" (3 Néfi 18:15).

Sabendo disso e conhecendo bem a natureza humana, o Senhor nos adverte: "Digo-vos, porém, que todo aquele que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério. Eis que vos dou mandamento de que não deixeis que qualquer dessas coisas entre em vosso coração" (3 Néfi 12:28-29). É por meio dos olhos e, depois, dos pensamentos, que o pecado entra em nosso coração.

Boas músicas, bons pensamentos e oração contínua nos ajudarão a fazer uso correto do precioso dom do arbítrio para alcançar a maior de todas as recompensas, que é a imortalidade e vida eterna (ver Moisés 1:39).

A edição de outubro de 2011 da revista A Liahona foi dedicada ao Livro de Mórmon. Testifico-lhes que o Livro de Mórmon é outro Testamento de Jesus Cristo. Convido-os a ler o Livro de Mórmon com sua família e receber um testemunho e os benefícios do evangelho eterno, que será proclamado a toda tribo, nação, língua e povo, como foi visto pelo Apóstolo João, em Apocalipse 14:6.


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O mórmon Pop Star americano David Archuleta em benefício da Missão de servir

Um artigo de opinião no Wall Street Journal anúncio sexta-feira destaque American Idol pop star David Archuleta, que ele planeja servir em uma missão de dois anos para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Allison Pond, um editor-associado para a Deseret News, dá uma visão sobre o mérito de servir como missionário Mórmon - que serviram de se missionário na Rússia. Ela ressalta que, como acontece com a maioria dos jovens, homens e mulheres que optam por servir, Mr. Archuleta provavelmente vai experimentar uma mudança em sua rotina diária:
Ele vai trocar uma vida de estrelato para o rigor de acordar às 6:30 todas as manhãs, estudando as escrituras por um par de horas, em seguida, trabalhar 10 horas por dia ensinando pessoas interessadas em suas casas e levando em outros serviços comunitários, projetos antes cair na cama exausto.
Pond também escreve que além de uma programação robusta e cumprindo diariamente, missionários experiência positiva transformações pessoais ao servir os outros:
Os convertidos mais importante para o mormonismo pode ser os próprios missionários. Estudos indicam que missionários manter altos níveis de atividade religiosa, com mais de 80% frequentam os serviços a cada semana e pagar o dízimo para a igreja. Missionários também tendem a ter alto nível educacional e as taxas de casamento.
Por causa de seu tempo no centro das atenções, David Archuleta já pode ser mais crescido do que a média de 21 anos de idade, mas uma missão vão desafiar até mesmo ele. Ele vai colocá-lo na companhia de centenas de milhares de pessoas que, até o final de suas missões, têm experiência em primeira mão com a injunção bíblica de perder suas vidas e, assim, encontrá-los.
Existem actualmente mais de 52.000 missionários de tempo integral servindo ao redor do mundo.

Pesquisa Lista Presidente Monson Entre Mais Admirada do Mundo

Thomas S. Monson, presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, está listada entre as pessoas mais admiradas do mundo de acordo com uma sondagem hoje Gallup / EUA .
A pesquisa, tomada em meados de dezembro, perguntou aos americanos que eles mais admiravam. Presidente Monson foi listado no top 10, juntamente com líderes religiosos reverendo Billy Graham eo papa Bento XVI.
Embora os presidentes da Igreja foram mencionados em pesquisas anteriores, esta é a primeira vez que um presidente da Igreja foi listado no top 10.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Pesquisa examina o "momento mórmon" nos EUA

CHICAGO, 12 Jan (Reuters) - A maioria dos mórmons dos Estados Unidos acredita que sua fé não é bem compreendida pelos norte-americanos e muitos se sentem tratados com hostilidade, mas uma pesquisa feita enquanto a religião ganha proeminência política e cultural mostra que eles também estão otimistas sobre o aumento da tolerância à sua crença.


O jornal The New York Times e outros órgãos da mídia qualificaram o atual contexto como "o momento mórmon", já que dois mórmons - Mitt Romney e Jon Huntsman - competem pela indicação republicana para a presidência dos Estados Unidos e, além disso, a religião é tema de uma peça de sucesso ("O Livro dos Mórmons") e de uma popular série de televisão ("Big Love" da HBO), e os livros best-sellers da saga "Crepúsculo" foram escritos por uma mórmon.

"Queríamos descobrir como os próprios mórmons estão respondendo ao movimento mórmon", disse Greg Smith, pesquisador-chefe do Fórum sobre Religião e Vida Pública do Pew Research Center, que entrevistou 1.019 adultos mórmons em outubro e novembro do ano passado.

"Encontramos um retrato misto", disse Smith em uma entrevista. "De um lado, os mórmons de muitas maneiras enxergam a si mesmos como mal-compreendidos. Eles acham que são discriminados, que não são totalmente aceitos pelos outros americanos".
Os mórmons formam cerca de 2 por cento dos cerca de 113 milhões de habitantes dos Estados Unidos.

Seis em cada 10 mórmons entrevistados disseram acreditar que os norte-americanos sabem pouco ou nada sobre o mormonismo. Metade disse que os mórmons enfrentam muita discriminação e dois terços afirmaram que as pessoas não pensam no mormonismo como parte da sociedade norte-americana.

"De outro lado, a pesquisa também mostra que os mórmons estão, de várias maneiras, otimistas. Estão contentes com as próprias vidas e com suas comunidades e (63 por cento dos entrevistados) acham que a aceitação do mormonismo está aumentando", disse Smith.

Até agora, o foco na campanha republicana vem sendo menos a participação do milionário Romney na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o nome oficial do mormonismo, e mais sobre o passado dele como um executivo que comprava e reestruturava empresas e sobre a época em que era governador de Massachusetts.
 
Isso pode mudar nas primárias republicanas no Estado da Carolina do Sul, em 21 de janeiro, onde os protestantes evangélicos devem formar um grande bloco eleitoral. Alguns evangélicos nutrem desconfiança do rápido crescimento do mormonismo e de suas crenças mais exóticas.

O relatório Pew disse que embora uma maioria substancial dos 14 milhões de mórmons no mundo se considere cristãos, alguns não-mórmons os veem como um culto baseado na crença em apóstolos e profetas vivos, e em dois livros adicionais de escrituras, além da Bíblia e outros princípios.

No ano passado, uma pesquisa Pew concluiu que a candidatura de Romney poderia encontrar resistência nas primárias republicanas por parte de eleitores evangélicos, embora eles o apoiassem contra o presidente Barack Obama, um democrata, na eleição geral de novembro.

Quinze por cento dos republicanos evangélicos disseram que estavam menos propensos a votar em Romney por causa de sua religião. Em comparação, 56 por cento dos mórmons na pesquisa disseram acreditar que os Estados Unidos estão prontos para eleger um presidente mórmon. Oitenta e seis por cento dos eleitores mórmons, incluindo alguns democratas, têm uma visão favorável de Romney, segundo a pesquisa, que tem uma margem de erro de 4.5 pontos percentuais.

Apesar de suas diferenças, mórmons e evangélicos têm muito em comum, disse Smith: eles são ideologicamente conservadores, a maioria é republicana ou tende para os republicanos, costumam frequentar a igreja e orar regularmente, e a religião costuma ser importante em suas vidas.

"Há claramente um reconhecimento por parte da população mórmon de que enfrenta desafios relacionados à aceitação, discriminação e assim por diante. Não há ilusões sobre isso", disse Smith.

"Ao mesmo tempo, eles são um grupo otimista, que acha que a aceitação do mormonismo está aumentando e que o país está pronto para eleger um presidente mórmon".

Publicado no site: http://newsroom.lds.org/article/-on-faith-blog-mormons-in-the-mainstream. Sobre o "On Faith" blog de ​​hoje , comenta Michael Otterson sobre o estudo sobre os mórmons divulgado hoje pelo Fórum Pew sobre Religião e Vida Pública:
Ao longo dos anos aprendemos um pouco das pesquisas de opinião sobre como os americanos vêem os Mórmons. Claramente, há uma grande lacuna de conhecimento sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, complicada por uma série de pressupostos errados. Mas esta manhã vimos algo diferente com o lançamento de um importante estudo do Pew Forum on Religion and Public vida, o que fazer perguntas para os mórmons-se sobre como eles vêem o seu lugar no mundo religioso e secular, e o que eles acham que é importante sobre a sua própria fé. Ele oferece alguns dados fascinantes.